© Modéstia à Parte | Cecília Rodrigues

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Pinterest Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon

Diário de uma noiva #2: chuva no casamento ao ar livre e troca de penteado!!

13.01.2017

Olá meninasssss!

 

Estou aqui com mais um capítulo do "Diário de uma noiva", onde eu conto pra vocês os desastres pré casamento e hoje vamos falar da: CHUVA.

Se tem uma coisa que pode deixar uma noiva muito nervosa no dia do casamento, é a chuva. Vocês que já casaram em dia de chuva sabem do que eu estou falando.

Meu casamento era pra ser ao ar livre, eu já tinha reservado as cadeiras, etc, e tinha muita fé que ia dar sol no dia 20 (dia do casamento), até porque agosto é o mês que menos chove.

Eu cheguei em Curitiba dia 01/08/16, e para minha alegria, estava um tempo super estável, sem chuva.

Dia 10/08/16 eu fui fazer a prova do penteado, e eu queria um penteado semi preso assim: 

Porém eu sei que não dá pra arriscar um penteado assim num dia úmido, muito menos num dia chuvoso num cabelo de 3 metros como o meu, porque a umidade não deixa os cachos pegarem, então em 15 minutos o cabelo fica horrível.

Mas, como eu disse, eu estava confiante que não ia chover. Fiz a prova tal, amei o penteado e estava tudo certo.

O tempo estava firme, e fiquei super feliz porque uma semana antes do casamento, dia 13/08/16 (o sábado do meu casamento civil), estava um sol maravilhoso com um céu sem nuvens. Bem, o problema foi que esse tempo estável durou apenas até domingo, e 5 dias antes do meu casamento o tempo começou a ficar feio.

Segunda ficou nublado, terça-feira choveu, quarta-feira choveu, quinta-feira choveu, sexta-feira choveu, e muito. Na sexta-feira eu comecei a dar uma de Abraão, e eu ainda tinha fé que a chuva ia parar. Porém tinha um problema: mesmo que não chovesse no dia do casamento (sábado) não poderíamos fazer o casamento ao ar livre, porque tinha chovido tanto durante a semana, que o gramado estaria encharcado.

E ainda tinha outro fator: se chovesse no sábado, eu teria que cancelar as cadeiras, pois o pessoal ia montar as cadeiras 13h, ou seja: se chovesse perto da hora de começar a cerimônia (16h), as cadeiras iam ficar na chuva até o pessoal ir buscá-las (por volta de 19h), e elas tem estofado e tal. Resumo: se as cadeiras sofressem algum dano por causa da chuva, eu iria ter que pagar. Porém, como eu disse antes, eu estava canalizando Abraão, então eu queria acreditar que de alguma forma, no sábado, Deus iria mandar uma rajada de vento que ia secar o gramado, ou que ia dar um Sol do sertão nordestino, e iria secar tudo.

Aí você deve estar se perguntando: mas Ceci, você não tinha um plano B, caso chovesse? Eu tinha, pois a cerimônia e a festa iam ser em uma chácara, então já tínhamos conversado com o pessoal sobre a possibilidade de chuva. Caso chovesse, o salão que iria ser o jantar estaria preparado para a cerimônia também, sem problema. Só que o meu sonho era casar ao livre, eu já tinha visto várias fotos e tinha mentalizado que ia dar tudo certo, então imaginem como eu estava triste. 

Enfim, tinha chegado o grande dia! Acordei 6h da manhã com uma chuva fortíssima, cancelei as cadeiras que eu tinha alugado, avisei o pessoal da chácara que a cerimônia ia ser dentro do salão, e fui pro dia da noiva.

Fui para o cabeleireiro de manhã, mas minha mãe, uma das minhas amigas e minha irmã só iriam à tarde, então imaginem meu estado de espírito, já estava toda triste por causa da chuva e ainda fiquei sozinha por um tempo, e aquele era pra ser o dia mais feliz da minha vida!

 

Continua...

 

Cecília Rodrigues

 

Tags:

Compartilhe no Facebook
Share on Twitter
Pin it
Please reload